quarta-feira, 16 de julho de 2008

Obsessão

Descobri que minha obsessão por cada coisa em seu lugar, cada assunto em seu tempo, cada palavra em seu estilo, não era o prêmio merecido de uma mente em ordem, mas, pelo contrário, todo um sistema de simulação inventado por mim para ocultar a desordem de minha natureza. Descobri que não sou disciplinado por virtude, e sim como reação contra a minha negligência; que pareço generoso para encobrir minha mesquinhez, que me faço passar por prudente quando na verdade sou desconfiado e sempre penso o pior, que sou conciliador para não sucumbir às minhas cóleras reprimidas, que só sou pontual para que ninguém saiba como pouco me importa o tempo alheio. Descobri, enfim, que o amor não é um estado da alma e sim um signo do Zodíaco.

Gabriel Garcia Marquez - in Memórias de Minhas Putas Tristes - Pg. 74

2 comentários:

ki disse...

É muito difícil aceitar que temos defeitos horríveis como esses citados pelo GGM. Às vezes obrigo-me a ver o pior que há em mim... mas não sei se de facto vejo. Talvez não passe da superfície...
ki

SeuDonoeSenhor disse...

Olá ki,é sempre bom ter sua presença aqui nesse espaço que tb é teu...desculpe-me a demora na resposta...a culpa é da vida agitada...rsrs...olha, realmente, se há coisa complicada, dificil, é a auto-crítica....quase sempre, identificamos defeitos alheios num piscar de olhos...mas, se nos perguntam: quais seus principais defeitos...pronto...nos complicamos,pedimos tempo pra pensar...e, se citarmos, serão um ou dois...rsrsrs...mas isso faz parte do pensamento cultural humano...não somos os únicos...mas temos já um diferencial: reconhecemos o problema...rsrs...beijos respeitosos a ti e saudações fraternas a teu dono....

SeuDonoeSenhor
SDS