terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Continuam ativos os três tipos de exemplares de "radicais": os radicais de cervejaria, os radicais de enfermaria e os radicais de estrebaria. Os frívolos, os loucos e os burros. Uns bebem e falam em revolução; outros alucinam e os terceiros zurram. Que cenário maldito...

Arnaldo Jabor

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016


"Quem não tem medo da vida também não tem medo da morte".
Arthur Schopenhauer

"A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos".

Arthur Schopenhauer

Riqueza

"A riqueza influencia-nos como a água do mar. Quanto mais bebemos, mais sede temos".
Arthur Schopenhauer

Comentários sobre minha filosofia BDSM



Após o boom gerado pelo fenômeno 50 Tons, vimos uma invasão imensa e cruel de nosso ambiente antes tão protegido e isolado, reservado. Podemos contar nos dedos da mão as pessoas realmente sinceras no ambiente online.Tal fato fica muito claro quando analisamos anúncios em sites de classificados BDSM. As exigências das subs beiram ao ridículo, demonstrando total desconhecimento do que significa o relacionamento D/S e todo seu envolvimento mágico. Classificados BDSM não são vitrines para namoro, noivado ou casamento. Mulheres (falsas subs) exigem idade, altura, raça, estado civil de seu desejado "dominador", ou seja,  querem um namorido dominador. Pretensos “dominadores”, pior ainda. Não têm o menor preparo, não têm experiência, querem cobaias. Há que se separar o que é ser Dominador do que é ser machista agressor. A linha que separa ambos se traduz em atitudes e conhecimentos, como cultura, preceitos e ética. Comece por analisar a forma como a pessoa se expressa. Para mim, a cultura se traduz, pela forma de se expressar na língua pátria. É condição básica pra um possível diálogo. frases truncadas, palavrões, babaquices, fotos íntimas ou pornográficas, correntes, filosofia de para choque de caminhão, para mim, são fatores excludentes, inteligência e cultura acima de tudo.. Antes de me procurar com proposta formal, sincera, e decidida, leia bem tudo o que declaro e publico no blog, no Tumblr, no Fetlife e no Yahoo Grupos, você saberá bem o que penso, sobre  minha filosofia de vida.


SEUDONOESENHOR
              SDS

: Os perigos dos relacionamentos SM iniciados sem as devidas precauções










O que me leva a abordar esse assunto tão importante dentro de nosso universo BDSM, é a constatação pessoal, através de contato com várias candidatas a submissas, vítimas de abordagens agressivas, violentas, mal educadas e esdrúxulas de falsos dominadores, até, pasmem, a proposta de submissas que insistem "veementemente" (como se isso fosse possível a uma sub), que meus processos de aproximação, iniciação, aceitação, instrução, treinamento, adestramento e encoleiramento sejam "encurtados" e, até mesmo, suprimidos, para que a primeira sessão seja, praticamente, imediata. Quero deixar claro que não coaduno, em hipótese nenhuma com esse tipo de proposta ou comportamento, nem por parte de submissas ou candidatas a submissas, nem por parte de dominadores, ou supostos dominadores ou candidatos a dominadores. O que tenho constatado trata-se de absurdos, brincadeiras com a segurança e com vidas de pessoas que, antes de serem submissas, são seres humanos, mortais. Começo tratando do caso de pretensos "dominadores" que abordam as submissas em sites da internet tratando-as como se suas escravas fossem. Isso já acontecia nos velhos tempos das saudosas salas de chat SM do UOL, mas era mais fácil expulsar os fajutos, porque as próprias subs, muitas vezes, vinham ao meu reservado colando mensagens dos fajutos do tipo: “... escrava apresente-se em meu reservado, de joelhos, "é uma ordem"..... Então, ríamos muito.....uma vez a sub me consultou: "Senhor, o que acha, devo perguntar se "ele" colocará cacos de vidro na sala?”Não soa ridículo?. Aqui quero esclarecer dúvidas de vocês, submissas, com base na experiência, em regras básicas e na lógica,  e fico à disposição para esclarecimentos. Um dominador de verdade, real, que é adepto e prega o SSC, jamais trata uma sub ou candidata a sub como se sua propriedade fosse. Nunca tenha pressa, amiga submissa. Não aceite figurar como uma presa a ser abatida por um predador, ao qual a natureza não a preparou para se defender nem para escapar. Você não é obrigada a chamar ninguém de senhor, antes de ter a certeza de quem é a pessoa com a qual está falando; você, antes de ser submissa, é uma mulher e é um ser humano, portanto, digna de respeito; alguém só manda em você, depois de você ter cedido, espontaneamente, o poder sobre você, e isso é um processo gradual; a não ser que você tenha permitido, não admita comentários mal educados, ofensivos, agressivos ou que a desagradem, aliás, outro conselho, não publique imagens, fotos suas, muito menos, ser forem íntimas; além do uso livre dessas imagens por pessoas no mundo inteiro, estão possíveis constrangimentos... Todo Dominador deve ter um planejamento, uma esquematização de instruir suas submissas de acordo com um plano, um projeto. Para mim, particularmente, não há dificuldades pois, além da formação, da vivencia no SM, junta-se a experiência de vida, ambas imprescindíveis à relação SM , bem estruturada. Tenho muito mais a dizer, me aguardem para muito breve. Comentários e críticas, serão sempre bem vindos(as).

SEUDOOESENHOR
           SDS

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A descoberta da submissão. Considerações.


Normalmente, quando o sentimento de submissão aflora, explode, a sub tem um choque, um impacto inicial por se deparar com algo que muitas vezes até desconfiava, mas não tinha consciência. Então, após esse choque inicial, vem a ansiedade para encontrar alguém para compartilhar, dividir, servir, pertencer. Mas não deve haver pressa. A necessidade de pertencer pode levar a decisões precipitadas e perigosas. É preciso estabelecer regras, seguir etapas, estágios. Agora que você descobriu esta coisa maravilhosa em você, é hora de aprender mais sobre si mesma. Leia muito, pesquise, explore todo o material disponível descobrindo, aos poucos e com persistência, as coisas que tocam você, que a excitam, procure imagens e fantasie praticando, leia contos eróticos envolvendo cenas e práticas. Provoque-se.

Se você não sabe quais são as suas opções, como pode tomar uma decisão consciente sobre sua vida? Não espere encontrar alguém para decidir isso por você. Você tem que decidir quem você é, o que você tem a oferecer e o que você está procurando em um Dom/Mestre, antes de procurar a pessoa para quem você vai doar-se a si mesma. Há tantos livros e sites para ler, estudar e obter o conhecimento que você precisa para encontrar o seu parceiro de forma consciente, inteligente e segura. Aproveite o tempo para aprender todos os diferentes aspectos de D / s, S / M, e o BDSM no contexto geral, universal. Você não tem que gostar de dor, mas, se descobrir que gosta ótimo. O importante é explorar, descobrir o que te atrai, te excita, faz teus olhos brilharem. Qual é o cardápio? Quais são suas opções? Qual é a diferença entre a humilhação e degradação? O que é a escarificação? O que é um chicote, uma gag ball? Há diferenças entre submissa e escrava? Se há, quais são? Qual seu grau de submissão: deseja realmente pertencer a alguém, se dedicar, aprender e obedecer ou apenas ser sub de sessão, obtendo diversão momentânea e por algumas horas, sem nenhum compromisso? É importante que você defina seus reais desejos para que possa direcionar a procura de forma direta e correta. Bem vinda ao nosso maravilhoso e prazeroso universo. Boa caminhada e desejo que seja muito feliz.

SeuDonoeSenhor
       SDS